Mercado de Trabalho & Python

Mar 13, 2024

Conteúdo

Intro

Hoje o papo vai ser sobre o mercado de trabalho. Foi meio cabuloso pensar em escrever essa aula, sabe por quê? Pow, estamos à beira de uma revolução tecnológica, não está por dentro? Então fica aí que tu vai ficar bolado com o que vem por aí.

Vou abordar o mercado de trabalho de forma única, mostrando o histórico do que nos foi vendido e o tamanho do problema deixado.

Este post é completo para os amantes da tecnologia que desejam trabalhar com Python ou não. Vamos nessa?

A mídia

Vamos começar com o canto da sereia. A mídia, jornais, influenciadores e toda uma galera que ama vender sonhos ficam tentando dizer que a área é fácil. Talvez você tenha lido algo do tipo: Até 2025 o Brasil irá precisar de 530 mil vagas na área da tecnologia. Nós nos iludimos em pensar que estamos perdendo o bonde (FOMO), porém não é bem assim.

Poucos são o que falam sobre a complexidade que é entrar nesse mercado. Os influenciadores que tentam te vender cursos para virar programador(a) em 6 meses e com isso você poderá ganhar até R$ 20 mil, muita gente acredita.

Sempre vai ter alguém tentando te fazer de mané, com algo fácil e geralmente isso encaixa na mente de alguém que está correndo atrás de uma oportunidade, então você deve ficar muito ligado.

Uma vez o Mano Brown falou assim:

“Se você pretende começar a programar, aprenda logo a ter um pensamento crítico, tenha muita curiosidade, faça suas próprias pesquisas e tome decisões baseadas em fatos e não pela emoção do que tentam te vender, demorou?”

Não, ele não falou isso, mas com certeza falaria se fosse um programador.

Pandemia

Quem se lembra desse papo nessa época de pandemia:

  • Agora tudo é digital.
  • Nunca se usou tanto a internet.
  • Uma nova era chegou, todos online.
  • Está com fome? Peça online.
  • Quer se divertir? Assista live.
  • Está entediado? Redes Sociais.
  • Escola? Estude em casa.
  • Trabalho? Agora é Home Office.

Todo o mercado de tecnologia ficou em festa com todo esse movimento, eles deram o nome de transformação digital, vai se ligando no que vai ser a verdadeira transformação que ninguém previu. As Big Tech (Google, Netflix, Facebook, Apple e outras) ficaram excitadas com todo esse movimento, os velhotes de Wall Street não paravam de contar dinheiro com as altas incríveis das ações dessas empresas.

Crescimento da S&P 500 durante a pandemia"Crescimento da S&P 500 durante a pandemia"

E com isso, as mídias começaram a preencher nossas mentes com a ideia de que o futuro estava no trabalho digital.

  • Aprenda marketing digital.
  • Grave lives.
  • Seja Programador(a)!

Vi várias empresas aqui no Brasil abrindo turmas e mais turmas para formar novos desenvolvedores. Venderam a ideia: “Seja desenvolvedor hoje e entre no trem do futuro. Vai ficar de fora?”

Muitas pessoas, até mesmo aquelas que eu jamais imaginaria se interessarem por esse campo, começaram a me perguntar sobre cursos e queriam mudar de área. O mercado absorveu toda essa demanda?

Me segue no flow.

Fundos de Investimentos

Startups de tecnologia dependem de investimentos para crescer. Elas participam de rodadas de captação de recursos com fundos de investimento, que administram dinheiro de vários investidores. Esse tipo de investimento é conhecido como capital de risco ou venture capital.

Startups buscam grana para potencializar seu crescimento, gerando valorização tanto para elas quanto para os investidores. O objetivo é alinhar ações e metas para garantir um retorno financeiro expressivo no futuro, através da venda da empresa.

Geralmente, para essas startups atingirem as metas, precisam melhorar o produto e, para isso, precisam de quem? De quem? Responde aí! Programadores.

Então, você já consegue imaginar o que aconteceu na pandemia?

Foi um rasgo de dinheiro, muitas empresas de tecnologia dobraram seu quadro de funcionários. Todo mundo ficou cego, como se a pandemia nunca fosse passar e o dinheiro nunca fosse acabar, o que importava era a transformação digital, certo?

Contratações nas bigtechs durante a pandemia."Contratações nas bigtechs durante a pandemia."

Muita gente começou a querer programar da noite para o dia. A mídia falava que precisava de pessoas, a pandemia dizendo que devemos virar programadores e os investidores liberando grana para as startups contratarem cada vez mais profissionais, todos ficariam felizes, não é?

Me segue no flow, vai somando as ideias.

Inflação

Você deve estar se questionando:

Cria! O que tem a ver mídia, pandemia e inflação? Só quero estudar Python e conseguir uma vaga.

Meu consagrado(a), se você não tiver uma visão 360° do mundo à sua volta, você perde oportunidades e não vai conseguir programar o mais importante, a sua própria vida, a linguagem é só um meio, você que tem que estar no controle, bora voltar? Confia em mim!

Todo o caos do uso de máscaras, álcool, comércio abrindo e fechando resultou em desorganização, algo que nós humanos dominamos. O EUA aprovou diversos pacotes de estímulo econômico para acalmar a situação, aumentando a base monetária em $4 trilhões “Cheat”.

Se o governo imprime dinheiro, a inflação sobe, elevando as taxas de juros. Investidores preferem opções seguras e rentáveis. Diferente dos arriscados investimentos em startups, onde o risco e incerteza são maiores.

Pegou a visão?

O dinheiro das startups que estavam contratando à doidado começou a sumir.

Com a escassez de recursos, as startups começaram a reduzir despesas de todas as formas, incluindo aqueles que tinham sido contratados para aumentar o quadro. Essa prática, conhecida como Layoff, ou o velho pé na bunda daqui do Brasil.

Me segue no flow.

Layoffs

No começo, as demissões era algo meio tímido, até surgiam conversas sobre um tal de “layoff humanizado”. Parece piada, né?

Algumas empresas justificaram assim:

  • Estamos realinhando o produto

  • Vamos investir em novas frentes

E umas poucas admitiam a real:

  • Contratamos gente demais, erramos.

  • Ou fazemos isso ou vamos à falência.

A estimativa é de que mais de 200.000 pessoas já foram cortadas e o número só aumenta.

Quer dar uma olhada na quantidade?

No início, pensávamos que os profissionais menos experientes seriam os mais afetados, os que acabaram de se formar ou não contribuíam muito. Todos esperavam uma rápida recuperação do mercado. Eu também acreditava, mas a realidade mostrou o contrário.

OpenAi

Em 2019 a Microsoft investiu nada mais nada menos que 1 bilhão de dólares pra ser o único parceiro em nuvem da então desconhecida empresa OpenAI. Isso fez com que as duas empresas arregaçarem as mangas e trabalhassem juntas no desenvolvimento técnico de um LLM.

No dia 30 de novembro de 2022, o dono do morro chegou! Dadinho é o karalho, meu nome agora é ChatGPT! Utilizando um LLM na versão 3.5, o software alcançou mais de 100 milhões de usuários em poucos dias. Será que veio pra brincar?

Spoiler: Em algumas partes dos LLMs do ChatGPT os mesmos foram construídos usando Python. Falei no post “Por que estudar Python?” que o Python impulsionou muitas técnicas como: Deep Learning, Machine Learning e Natural Language, uma parte disso tudo gerou os LLMs da OpenAI. Então acredito que há muito pano na manga para o Python.

A Microsoft, como investidora, já lançou a primeira ferramenta de uma nova era de IA dentro da empresa: A integração do Copilot com o modelo GPT 3.5, ele permite que desenvolvedores de todas as linguagens vejam uma interface gerando códigos, entendendo contexto e corrigindo bugs, tudo dentro do VS Code.

Então começaram as primeiras notícias:

“Fim dos desenvolvedores?”

Putz, que bad, hein? Primeiro o mercado incentivando todo mundo a virar programador, depois começa a demitir todo mundo e agora as notícias dizendo que seremos substituídos?

Em 2023 os devs chamavam a IA de burra, dizendo que nunca vai acontecer essa substituição. Eu acredito que pode sim, em partes.

Então, a OpenAI libera o acesso ao seu modelo de LLM via API e milhares de outros softwares agora começam a ser construídos utilizando essa tecnologia. Lembra do primeiro tópico? A mídia, ela mesma agora não precisa mais gerar notícias para aprender a programar, as notícias chegam quase a cada 1 hora, sobre:

“O que será do trabalho no futuro?”

Começa uma sensação de alarmismo para todos os lados e não apenas para os devs, mas para todas as profissões, pois com a API liberada, a IA pode chegar a todos os lugares e isso faz com que as pessoas comecem a temer serem substituídas por máquinas.

IA

Depois da OpenAI, outras empresas como Google, Twitter, Meta começam a lançar os seus próprios LLM, além de vários LLM opensource.

Então começamos a ver uma explosão de IA’s para todos os lados e chegamos a um nível que não dá para acompanhar, pois a cada semana é uma nova versão do nosso futuro, a cada semana se fala em mais e mais substituições e com isso vamos ver aquelas páginas de layoffs cada vez mais cheias.

Será que o desenvolvedor vai mesmo acabar? Talvez o tipo de Dev que você é ou já viu, sim, ele pode acabar. Mas o que eu acredito é:

Quando o COBOL chegou, milhares de programadores de cartão perfurado apenas mudaram, seus pensamentos lógicos foram levados consigo para outra tecnologia e acredito que é isso que vai acontecer.

Mas e o mercado de trabalho para Python? Se é isso que você queria saber, não existe garantias para nenhuma profissão, só posso dizer é que todos terão que se adaptar e se reinventar, por isso criei esse site. Por isso, estou estudando Python.

Hoje, dia 13/03/2024, foi lançada uma IA que consegue ler a documentação, consegue ler o log, consegue criar o código e testar a aplicação de ponta a ponta. Mais detalhes em: https://www.cognition-labs.com/blog. Com isso, vai surgir mais alarmismo sobre o nosso fim.

IndieHacker

Chegamos ao tópico onde eu acredito que cada vez mais pessoas vão buscar esse caminho de alguma forma, pois esse caminho trata de pessoas que são autodidatas, elas não ficam bitoladas em apenas uma linguagem, framework ou modelo de trabalho.

São pessoas que ganham a vida na internet, lançando pequenos produtos para determinados nichos, esse grupo consegue dominar marketing, vendas, codificação e o que precisa fazer, são às vezes uma única pessoa ou, no máximo, um pequeno grupo.

Já existem muitas pessoas que vivem dessa forma, o caso de maior sucesso é o de @levelsio, que fatura R$ 2.485.000,00 mensalmente, sozinho e com vários pequenos projetos, boa parte deles utilizando a API da OpenAI.

O proprio Sam Altman (CEO da OpenAI) tem esse pensamento:

Ele prevê pessoas valendo US$ 1 bilhão: “Está acontecendo”

Esse caminho é livre de modelos de contrato de trabalho, é um modelo que combina bem com um mundo totalmente cyberpunk, mas essa é minha chapação, se você quiser continuar nesse caminho comigo, garanto que vamos usar o Python para construir caminhos independentes de uma CLT é pra lá que eu vou.

Se você é cria, você tá ligado que a gente não pode ficar nessa de muito debate, pois temos muito corre pra fazer, o lance é fazer como o irmão da imagem desse post, vamos nos unir com a IA e tentar fazer novos corres, pois aqueles que lutam sempre terão espaço no campo de batalha, bora?

Caso você ainda pense em conseguir um trampo formal, não te julgo e estou aqui para ajudar, mas não vou abordar muito esse assunto, vou deixar aqui um vídeo de quem pesquisou melhor do que eu sobre vagas de trabalho em Python.

Próxima aula

Veja o cronograma de conteúdo, para listar as próximas aulas.

Para receber a próxima atualização, coloque nos comentários: BORA CRIA


E aí, curtiu?

Se você chegou até aqui, muito obrigado!

Seria incrível se você pudesse compartilhar este material em suas redes sociais!

Shoutout!

© 2024